As mulheres sofrem mais com o estresse do que os homens?

Tempo de leitura: 2 minutos

As mulheres sofrem mais com o estresse do que os homens?

 

Oi, pessoal, estamos de volta!

Eu quero compartilhar com vocês minhas impressões sobre o artigo entitulado “Porque elas sofrem mais?”, publicado na revista Mente Cérebro, edição nº 294, abordando o tema do estresse nas mulheres.

Segundo o artigo, pesquisas sobre os efeitos do estresse indicam que as mulheres tem probabilidade duas vezes maior que os homens de sofrer de distúrbios psiquiátricos relacionados com o estresse.

Existem diferentes hipóteses para explicar essa situação. Uma delas afirma a importância dos fatores culturais, pois as mulheres estariam sujeitas a mais fatores estressantes que os homens (trabalho fora e dentro de casa, menores salários que os homens etc). No entanto, novas pesquisas estão indicando que o cérebro de homens e mulheres apresentam formas diferentes de se adaptar ao estresse, sugerindo que fatores biológicos também devem ser levados em consideração.

A dificuldade de se entender melhor a reação das mulheres diante de situações de estresse decorre do fato de que durante muito tempo as pesquisas científicas usavam apenas animais machos (sexo masculino) para fazer os estudos. Pesquisas recentes começaram a demonstrar que ao usar ratos de ambos os sexos ocorrem comportamentos e resultados diferentes diante dos testes de estresse. Isso significa que as informações dos testes usando apenas ratos machos podem não ser adequadas para o desenvolvimento de tratamentos mais eficientes para as mulheres. Um medicamento testado em ratos machos pode ter resultados diferentes quando testado em ratos fêmeas.

Uma hipótese para essa diferente resposta biológica é que as fêmeas apresentam funções sociais diferentes dos machos. Elas protegem seus filhotes e os mais jovens e vulneráveis do seu grupo, precisando manter um estado de alerta maior que os machos, o que gera um desgaste físico e mental maior.

Levando em conta todas as informações que indicam uma maior vulnerabilidade das mulheres ao estresse, é importante que as mulheres reservem mais tempo para cuidar do seu bem estar. Por isso, vou deixar um exercício reflexivo.

Pegue lápis e papel e invista alguns minutos em responder essas questões:

1) quanto tempo você dedica para cuidar de seu bem estar diariamente e semanalmente?

2) você acha que esse tempo está sendo suficiente para atender às suas necessidades?

3) Ou a questão não é tempo, mas sim as estratégias que você está usando que não estão adequadas?

4) o que você poderia fazer diferente?

Um abraço, às mulheres e homens que estão nos acompanhando no Estar Presente.

Até mais.

Aristóteles Rodrigues

Coach de Redução de Estresse

como reduzir o estresse e a ansiedade